IMDH e Pastoral da Mobilidade Humana atendem ganeses que buscam refúgio no Brasil

Pastoral da Mobilidade Humana

O Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu (Scalabrinianas) atendeu, nos últimos meses, 295 ganeses que chegaram ao Distrito Federal, com solicitação de refúgio.

De acordo com a diretora do Instituto, irmã Rosita Milesi, o número vem crescendo significativamente não só em Brasília como em outras cidades, a exemplo de Caxias do Sul (RS), Criciúma (SC) e São Paulo (SP). Dados do IMDH mostram que os imigrantes atendidos são, na maioria, homens entre 20 e 40 anos, que informam terem vindo de Acra, capital de Gana.

Enquanto uns já se apresentaram à Polícia Federal para solicitar refúgio, outros aguardam para ser atendidos. “Todos expressam a grande esperança de receber proteção, segurança e de construir melhores condições de vida no Brasil”, explica irmã Rosita. Entre os motivos para o pedido de refúgio, a religiosa cita os conflitos por questões fundiárias, perseguição devido à orientação religiosa, dificuldade de trabalho e falta de perspectiva em seu país de origem. Enquanto aguardam a documentação necessária para poder trabalhar no Brasil, muitos enfrentam dificuldades e vivem em situações precárias, nas regiões mais carentes e distantes.

Irmã Rosita acrescenta que o IMDH, com o apoio da Pastoral da Mobilidade Humana da CNBB, realiza campanhas de alimentos, cobertores, produtos básicos de higiene e objetos de casa e cozinha, para atendimento emergencial às necessidades dos imigrantes. Informa, ainda, que o Instituto tem auxiliado na obtenção da carteira de trabalho e previdência social. Além disso, orienta sobre a documentação e disponibiliza o contato com empresas que podem oferecer empregos.

Outra iniciativa do IMDH refere-se às aulas de português, com a colaboração de voluntários. “Eles (os imigrantes) estão muito ansiosos por aprender o idioma, cientes da importância deste aspecto para sua inserção na comunidade e também laboral”, ressalta.

Levantamento recente do Ministério da Justiça mostra que durante a Copa do Mundo foram emitidos 8.767 vistos para ganeses e 2.529 entraram efetivamente no País desde então. Dos 295 que se encontram em Brasília, o IMDH informa que 75 receberam o protocolo ainda durante o primeiro semestre de 2014. Alguns o estão recebendo neste período após a Copa, e outros ainda aguardam recebê-lo nos próximos meses, segundo agendamento da Polícia Federal.