Caminho, Verdade e Vida

10338866_456170254526550_7300870440110654754_n

Agricultores-do-PSAN-PE

download (3)

fano_pastorNo Evangelho dos Domingos passados, vimos a preocupação de Jesus em formar uma Comunidade, que continuasse a sua obra.

Nós estamos aqui, porque pertencemos a essa Comunidade…

O que é mesmo uma Comunidade Cristã?

As Leituras bíblicas de hoje nos dão uma resposta:

A 1ª Leitura mostra o 1º Conflito na Comunidade de Jerusalém

e como resolveram o problema. (At 6,1-7)

 – Os cristãos de origem grega queixam-se que as suas viúvas

não estão recebendo a mesma atenção do que as viúvas judaicas…

– Os Apóstolos propõem a escolha de sete homens honrados,

ficando eles mais livres para a Oração e para o serviço da Palavra.

Nascia assim o 1º Ministério na Igreja: o Diaconato. (Domingo dos ministérios)

 

* O episódio nos mostra que a IGREJA é:

 

– Uma Comunidade que sempre teve, tem e terá conflitos…

mas deve enfrentar as situações novas e difíceis

com sentido eclesial de unidade na pluralidade.

 

Uma Comunidade hierárquica:

Ela recorre aos apóstolos, reza invocando o Espírito Santo e

busca uma solução para o problema. Partilham as responsabilidades…

A Comunidade escolhe… Os Apóstolos confirmam impondo as mãos…

 

Uma Comunidade de Servidores.

Escolhe sete homens “cheios do Espírito Santo”, para o serviço das mesas.

Assim a Igreja Apostólica, guiada pelo Espírito de Cristo Ressuscitado,

vai desenvolvendo os ministérios para realizar a sua tríplice missão:

o Serviço da Palavra, do Culto e da Caridade.

 

Na 2a Leitura, Pedro compara a Igreja a um Edifício Espiritual,

no qual Cristo é a “Pedra angular” e os cristãos “Pedras vivas”.

O antigo templo de Jerusalém construído com pedras materiais

será substituído por esse novo templo formado de pedras vivas. (1Pd 2,4-9)

 

No Evangelho, a Igreja aparece comoum Povo Peregrino

que caminha para Deus, guiado por Cristo,

que é o CAMINHO, a VERDADE e a VIDA. (Jo 14,1-12)

 

O texto faz parte do “Discurso da despedida”, na última ceia.

Lidas neste tempo litúrgico de Páscoa, as palavras do Senhor

nos orientam para  a Ascensão ao Pai e são como seu testamento espiritual.

“Não vos preocupeis… vou preparar um lugar para vós… depois voltarei

 e vos levarei comigo… Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida…”

 

Jesus é o CAMINHO porque é o único “Mediador” da Salvação;

é a VERDADE porque é o “Revelador” do projeto de Deus;

é a VIDA porque é o “Salvador”, que nos dá a vida de Deus que ele possui.

Por isso: “Ninguém pode chegar ao Pai senão por mim”.

 

* Resumindo, a Igreja é:

 

– É um POVO ORGANIZADO, em que os membros têm diferentes tarefas,

tais como o serviço da Caridade, da Palavra e do Culto.

– É um EDIFÍCIO ESPIRITUAL, em que Cristo é a Pedra fundamental e

nós Pedras vivas…

– É um POVO PEREGRINO que caminha para Deus, sob a guia de Cristo,

que é o Caminho, a Verdade e a Vida.

 

+ Que casa é esta, onde Jesus preparou muitas moradas?

 

– O Paraíso, onde teremos antecipadamente uma cadeira numerada?

– Não, a Casa do Pai é a Comunidade dos seguidores de Jesus (Igreja),

onde Cristo é a “Pedra angular” e nós devemos ser “Pedras Vivas”.

É a Comunidade cristã, onde há “muitos lugares”,

muitos serviços, muitas funções a serem desempenhadas…

 

– Ainda Hoje há muitas moradas nessa casa do Pai…

E muitos lugares de trabalho preparados por Jesus, continuam desocupados…

E “nessa casa”, há vagas!…

Por que será? Desinteresse? Falta de oportunidade?

Cristo continua presente ainda hoje através da sua Igreja.

– Nela, somos, de fato, “Pedras vivas”, atuantes… desempenhando nossa função?

– Somos uma Comunidade organizada, que partilha responsabilidades,

que procura ser uma resposta atual ao homem de hoje:

com um Conselho que planeja, revê, anima e dá oportunidade a todos,

com Pastorais atuantes,

com Movimentos que vivem uma espiritualidade própria,

     mas em comunhão com a Comunidade…

     com Ministérios que animam os diversos setores…

 Cristo garante: “Estou convosco… Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida…”

Caminho que devemos percorrer com os irmãos;

Verdade que devemos proclamar ao mundo carente da Luz divina;

Vida que devemos defender e cuidar…

 – Que tipo de Igreja estou ajudando a construir na minha Comunidade?

– Ou fico apenas olhando de longe, criticando… e não assumindo o meu lugar?

 

Pe, Antônio Geraldo Dalla Costa – 18.05.2014