Os Mensageiros da Bondade e Misericórdia Divinas

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz Bispo Diocesano de Campos (RJ) Neste domingo o Papa Francisco em Roma canonizará a dois predecessores que se destacaram por transparecer a bondade e a misericórdia divinas. Ângelo Roncalli, São João XXIII foi deveras uma grata e inesquecível surpresa do Espírito Santo, apelidado de Papa da Bondade, Pároco do mundo, iniciou seu pontificado com gestos de singeleza, humildade e alegre simplicidade. Quebrava protocolos para se aproximar das pessoas, indo ao encontro das crianças, doentes, pobres e presos. Sentiu prontamente a necessidade de “aggiornar” a Igreja, abrindo as janelas, para deixar entrar o ar fresco para remover tanta poeira sedimentada através dos séculos. Convocou o Concilio Vaticano II, para repensar a Igreja e a sua missão, acompanhou os trabalhos preparatórios e no discurso de abertura marcou o clima de um Concilio que se caracterizou pela audácia, a renovação e a liberdade dos participantes, estando presentes por primeira vez representantes de outras Igrejas. Religiões e os leigos, com uma presença também inusitada de 16 mulheres. Finalmente, foi o grande intercessor pela paz mundial, ajudando na resolução do conflito dos foguetes em Cuba que quase leva a uma terceira guerra mundial. Carol Woytila, o saudoso João de Deus, São João Paulo II, cativou a todos por seus gestos comunicativos (abraçar crianças, acolher com carinho as pessoas, beijar a terra do país que visitava), e pelo empenho missionário, tornando a cátedra de Pedro uma sede itinerante, alcançando todos os povos e nações. Tornou-se o profeta da vida e da família, exercendo sempre o magistério da verdade sobre a pessoa humana e sua inviolável dignidade. Defendeu os direitos dos pobres e trabalhadores, afirmando que sobre toda propriedade pairava uma hipoteca social. Reagiu contra a desertificação espiritual despertando vocações, chamando a fidelidade criativa os consagrados, valorizando o sacerdócio ministerial que teve um crescimento vertiginoso em número e qualidade. Foi o artífice da paz e do diálogo, aproximando a todos os povos a uma interdependência e a comunhão na partilha dos bens. Ambos santos nos deixaram um mundo bem melhor, nos fizeram mais amigos de Cristo, e mudaram a face da Igreja, tornando-a misericordiosa, samaritana, e missionária a serviço da humanidade. Deus seja louvado!