Grupo de reflexão de educadoras negras reúne-se em Brasília

Pastoral Afrobrasileira

O Grupo de Reflexão de Educadoras Negras da Pastoral Afro-Brasileira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) esteve reunido, em Brasília (DF), entre os dias 4 e 6 de abril. Na ocasião, representantes de seis estados brasileiros e o assessor da Pastoral na CNBB, padre Jurandyr Azevedo, partilharam experiências da caminhada e estudaram vários materiais a respeito de história, cultura e educação negra.

Entre os subsídios em debate esteve o “História e Cultura africana e afro-brasileira na escola – 10 anos da lei 10.639/03”, elaborado, em 2013, pelo grupo de educadoras da Pastoral Afro-Brasileira. A lei trata da inclusão no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”. Na oportunidade, as educadoras partilharam a caminhada, o acolhimento e a divulgação do subsídio. Também esteve em pauta o material “Juventude Negra: violência, genocídio, caminhos alternativos”, que gerou a elaboração de uma proposta para a reedição do texto sobre a Lei 10.639/03.

O grupo fez, ainda, um estudo sobre a Campanha da Fraternidade de 2014, que tem o tema “Fraternidade e Tráfico Humano”, com ênfase no recorte étnico racial.

Além disso, as educadoras refletiram sobre identidade, diretos humanos e multiculturalismo, “transculturalidade” e educação, a partir do livro “Pedagogia da Alteridade: para viajar a Cosmópolis”, de Vittorio Pieroni, Antonia Fermino e Geraldo Caliman.

Participaram da reunião as educadoras: Vera Lúcia Lopes, de São Paulo; Silvana Gomes, da Bahia; Francisca Bueno, do Rio Grande do Sul, Marinete Morais, de Minas Gerais; Jacinta Maria Santos, do Maranhão; e Euterlúcia Santos Rodrigues Souza, do Distrito Federal.