As cegueiras interiores

Bruno Miranda

Segundo tema batismal que nos aparece na liturgia deste domingo da Quaresma: a luz. No Evangelho, também de São João, o episódio da cura do cego de nascença: Jesus cura um cego de nascença e com isso, cria uma discussão acesa sobre a autoridade de Jesus para fazer tal milagre.
Também aqui há o jogo de palavras luz/trevas, entre as pessoas que vêem, mas estão cegas e as que estão cegas e passam a ver, e a progressão que o miraculado faz no conhecimento de Jesus, que começa só por saber que quem o curou se chama Jesus, mas, no final do relato, prostra-se diante dele e reconhece-o como o Enviado de Deus.
Aliás a palavra “Enviado” aparece no relato na sua versão hebraica “Siloé” – o nome da piscina onde Jesus mandou o cego lavar-se. Esta é a palavra deste domingo: andamos nós a mergulhar nas águas do Enviado para recuperarmos a vista interior que, o pecado nos tirou?

Bom domingo!

Anúncios