Milhares de fiéis participam no funeral do bispo de Xangai

zap_1395505200

Zhongliang

22/03/2014 | Asia News

As autoridades locais autorizaram os católicos da dioceseXangai  para participar na missa de exéquias do bispo, dom José Fan Zhonggliang,  que faleceu no domingo passado dia 16 de março.

Dom Fan, bispo ordinário da diocese, mas membro da igreja católica considerada pelo governo clandestina, estava preso. Num primeiro momento, as autoridades proibiram o traslado do caixão para a igreja e foi colocado no edifício onde se colocam os mortos até ao dia do sepultamento. A homenagem ao falecido, feita silenciosamente pelos fiéis,  foi autorizada quinta e sexta feira desde as 9 horas até às 17 horas, sem proibir que ao fosse celebrada a missa.

Assim puderam ser celebradas muitas missas por diversos sacerdotes. Embora o governo não tenha autorizado o comparecimento de muitos fiéis, muitos cristãos inclusive membros da igreja oficial..

Um dos celebrantes ousou orar também pelo bispo atual de Xangai que se encontra em prisão domiciliar, dom Taddeo Ma Daqin que foi preso desde o dia de sua ordenação por se ter demitido do cargo que tinha na Associação Patriótica (reconhecida pelo governo). Mesmo permanecendo sob um rígido controle, os fiéis esperavam que fosse autorizado a presidir à missa.

Os fiéis pediram que fosse permitido colocar um caixão simbólico na catedral de Santo Inácio, sede do bispo de Xangai, onde foi celebrada uma missa de exéquias pelo padre Zhu Yude na presença de mais de 5 mil fiéis pertencentes à igreja oficial e clandestina e à igreja oficial. O padre exortou os fiéis a seguir o exemplo do bispo, dom Fan, na fé e na perseverança.

Ele faleceu aos 94 anos, depois de ter vivido 30 anos na prisão .Apesar de ser mantido sob um rígido controle, os fiéis esperavam que o atual bispo, dom Taddeo,  fosse autorizado a participar e presidir na celebração. Quando o nome dele foi citado, os fiéis gritaram o nome: “Taddeo”! O governo chinês proíbe que seja usado o termo “bispo” e qualquer símbolo episcopal. Por isso o nome colocado na frente do caixão era o de pastor. Mas alguns fiéis ousaram torar esse nome e colocar o de bispo.

Como ele não é reconhecido como bispo pelas autoridades chinesas, não foi autorizado o sepultamento dele na catedral como era o desejo dos padres e fièis. Mas os fiéis compraram um espaço especial no cemitério de Xujiahui que fica próximo ao santuário de Nossa Senhora, padroeira da China. Foi surpreendente a presença de sacerdotes da igreja “subterrânea” e da igreja oficial. Tudo decorreu na máxima ranquilidade, comentou um sacerdote à Ásia News.

Fonte: Site Asia News

Anúncios