“Mesmo que uma mãe esquecesse seu filhinho, Eu não te esqueceria jamais!”

LITURGIA – 8º DOMINGO COMUM

02.03.2014.

1.Introdução.

Estamos em pleno carnaval que deixou de ser diversão para tornar-se escravidão! Deus não proibe a diversão, mas não aprova a decadência do ser humano que Ele criou com tanto amor!

A Palavra de Deus, neste domingo, recorda-nos a primazia do Reino de Deus sobre todas as coisas: “Não podemos servir a Deus e ao dinheiro”, em pé de igualdade. Deus quer a vida do homem, mas o dinheiro, especialmente, mal adquirido causa sofrimento e morte sobre a face da terra.O dinheiro pode tornar-se um ídolo!

2.Palavra de Deus.

  Is 49,14-15 – O Povo de Israel, sofrendo os rigores da escravidão, pensou que Deus se esquecera dele! Dsse-lhe,então, o profeta: Uma mãe pode esquecer o filho, mas Deus jamais esquece Israel,seu Povo!”

   1Co  4,1-5 – Todos somos servidores de Deus e administradores de seus bens, especialmente, da evangelização. Ao cair da tarde, seremos julgados por Deus!

Mt 6,24-34 – Quem coloca Deus em primeiro lugar, não adora o dinheiro e nem se preocupa com a moda e a comida! Ele sabe que Deus cuida, com carinho, de todas as suas criaturas, especialmente, do homem!

3.Reflexão.

  • No sofrimento do exílio, o Povo de Israel desacreditou do amor de Javé, seu Deus. Chorava qual criança abandonada! Mas o profeta recorda-lhe que a mãe pode esquecer seu bebê, mas Deus jamais esqueceria seu povo! No sofrimento cotidiano, especialmente,quando fruto de nosso pecado, nós também  nos comportamos como criança abandonada e até revoltada, não é verdade? Precisamos de um profeta Isaias que nos recorde o amor inquestionável de nosso Deus!
  • O Evangelho fala do Reino dos céus e do dinheiro. O cristão precisa fazer sua escolha! Mas de que dinheiro se trata? Com certeza, do mal adquirido (roubado), daquele que nos faz esquecer a família e nossos deveres, do dineiro que nos rouba a serenidade e nos estressa pela preocupação de fazê-lo render a qualquer preço. Do dinheiro que deixou de ser um instrumento necessário para tornar-se um ídolo devorador! E junto ao dinheiro vai o sexo que sufoca o verdadeiro amor , dado por Deus como fonte de alegria e de comunhão. O sexo que o mundo e a midia adoram não é causador de alegria, mas de morte e degeneração. O homem regride abaixo do animal!
  • A preocupação com a comida e a moda, por sua vez, não combinam com o Deus amoroso de Jesus. A comida que falta para muitos e é esbanjada por poucos. A moda que usa o ser humano para exibir-se, vira um ídolo avassalador! Diz-se que a moda não encomoda! Encomoda, sim, e como!

O Deus que veste os lírios do campo, não cuidará de seus filhos?

 

Frei Carlos Zagonel.

Anúncios