Guarani Kaiowá retomam mil hectares de Pyelito Kue no MS

Cerca de 250 Guarani Kaiowá retomaram nesta quarta, 12, a área da fazenda Cambará, incidente sobre o tekoha Pyelito Kue/Mbarakay, em Iguatemi (MS), fronteira com o Paraguai. O grupo vivia, desde agosto do ano passado, em um hectare às margens de estrada vicinal. Homens não identificados atiraram contra a comunidade, de acordo com as lideranças indígenas. Por enquanto, não há confirmações sobre feridos. Segundo as lideranças indígenas, a fazenda tem cerca de 1200 hectares.

Sem comida, água, convivendo com a poeira e debaixo de lonas, os indígenas decidiram retornar ao local de onde os mais velhos foram expulsos. O grupo divulgou uma carta, no final de 2012, afirmando a decisão de resistir em suas terras até as últimas consequências, o que despertou a atenção da opinião pública nacional e internacional. Na ocasião eles viviam na beira do rio Hovy.

No início da tarde, conforme relato dos Guarani Kaiowá, fazendeiros se aglomeraram a poucos metros da retomada, antes da linha formada pelos indígenas na vicinal. O clima é de tensão e os indígenas estão vigilantes diante das ameaças de ataque. A Funai se dirigiu ao local no início desta noite.

O tekoha Pyelito Kue/Mbarakay é parte de área identificada com 41.571 hectares de extensão pelo Grupo de Trabalho (GT) da Bacia Iguatemipeguá, localizada nas proximidades da Terra Indígena Sassoró. A fazenda Cambará é apenas uma das várias propriedades incidentes sobre a área identificada.

As lideranças pedem às autoridades garantias para ficar no tekoha, posto que foram expulsos por pistoleiros antes do relatório de identificação ter sido publicado pelo Ministério da Justiça.

Leia mais:

Pyelito Kue: “esgotou a nossa paciência”

Fazendeiro entra com interdito proibitório contra indígenas de Pyelito Kue, MS

MS: pistoleiros rondam e atacam comunidades Guarani e Kaiowá

“Ainda estamos vivendo em um hectare de terra”

 

 

 

Anúncios