Papa a rabino: “Que o horror do Holocausto jamais se repita”

Cidade do Vaticano (RV) –

Nesta segunda-feira, 27 de janeiro, é celebrado o Dia Internacional de comemoração em memória das vítimas do Holocausto. A data foi escolhida para recordar o genocídio dos judeus na Europa no dia em que, em 1945, as tropas soviéticas abateram os portões do campo de concentração de Auschwitz.
Nesta ocasião, o Papa Francisco escreveu uma carta a seu amigo, rabino de Buenos Aires, Avraham Skorka, com o qual publicou em 2010 o livro “O céu e a terra”. A mensagem, escrita a mão, será lida na noite do dia 27, antes do concerto musical “Os violinos da esperança”, no auditório da cidade de Roma.
“Que todos os que participem deste evento possam se identificar nas lágrimas históricas que nos chegam através dos violinos, e sintam o desejo de se comprometer para que aquele horror não mais se repita, porque constitui uma vergonha para a humanidade”, diz a carta.
“Estou espiritualmente com vocês neste evento, que é por si só, uma mensagem”, assegura Francisco ao amigo, que está em Roma justamente para encontrar o Santo Padre, com uma delegação de líderes da sua comunidade e decidiu prolongar sua estada em Roma para assistir ao concerto.
“Agradeço o Papa por suas palavras, e espero que o diálogo entre judeus e cristãos possa continuar progredindo e dando frutos, num clima de respeito pelas diferentes culturas e tradições, das quais as amigáveis palavras de Francisco são testemunho”, comentou o Presidente das Comunidades Judaicas Italianas, Renzo Cattegna.
Por sua vez, o rabino argentino Skorka se disse satisfeito com a carta e pelo fato que o Papa o autorizou a divulgá-la publicamente, como demonstração dos sentimentos compartilhados por ambos.
(CM)