Jovem Padre comove redes sociais com carta enviada ao Papa Francisco antes de Morrer

Quarta-feira, 08 de Janeiro de 2014 – 12:43:43

Jovem Padre comove redes sociais com carta enviada ao Papa Francisco antes de Morrer

 Tradução: Pascom Lapa- SP

P. Fabrizio de Michino +
P. Fabrizio de Michino +

ROMA, 07 de Janeiro de 2014.

Um jovem padre comoveu,nestes dias, as redes sociais, com uma carta enviada ao Papa Francisco antes de morrer no dia 1 de janeiro, solenidade de Santa Maria Mãe de Deus.

Um câncer que virou metástase em seu fígado e no baço lhe tirou a vida.

Aqueles que o conheciam afirmaram que o sacerdote sempre enfrentou com alegria seu sofrimento e oferecia sempre para a igreja e para o Santo Padre.

Padre Fabrizio de Michino nasceu em Nápoles no dia 8 de setembro de 1982, tinha apenas 31 e já passava por esta provação que enfrentou pela fé inabalável.

Cerca de  tres mil pessoas se reuniram em Ponticelli para  despedir-se dele na Basílica de Nossa Senhora das Neves, onde foi vigário paróquial até seus 31 anos.
O sacerdote faleceu em sua casa onde sempre foi visto com “um sorriso e dizendo palavras de conforto para seus parentes e amigos que estiveram ao seu lado até seu último suspiro.

Abaixo transcrevemos a carta que ele enviou ao Santo Padre Papa Francisco

A Sua Santidade o Papa Francisco:

Santo Padre,

nas orações diárias que dirijo a Deus, não deixo de rezar pelo senhor e pelo ministério que Deus lhe confiou, para que Ele possa lhe dar forças e alegria para continuar anunciando a boa nova do Evangelho.

Eu me chamo Fabrizio De Michino e sou um jovem padre da diocese de Nápoles. Tenho 31 anos e há cinco sou sacerdote. Desempenho meu serviço no Seminário Arcebispal de Nápoles como professor de um grupo de diáconos, e em uma paróquia em Ponticelli, que se encontra na periferia de Nápoles. A paróquia, recordando o milagre registrado na colina Esquilino, recebe o nome de Nossa Senhora das Neves.

Ponticelli é um bairro degradado por sua pobreza e alta criminalidade, mas a cada dia descubro verdadeiramente a beleza de ver o que o Senhor realiza nestas pessoas que confiam em Deus e na Virgem.

Também eu, desde que estou nesta paróquia, pude ampliar cada vez mais meu amor pela Mãe Celeste, experimentando também nas dificuldades a sua proximidade e proteção. Infelizmente, há três anos eu luto contra uma doença rara: um tumor no interior do coração. Há um mês estou com metástase no fígado e no baço. Nesses anos difíceis, no entanto, nunca perdi a alegria de ser anunciador do Evangelho. Também no cansaço eu percebo, verdadeiramente, esta força que não vem de mim, mas de Deus, que me permite desempenhar com simplicidade o meu ministério. Há uma citação bíblica que tem me acompanhado e me enche de confiança na força do Senhor: “Dar-vos-ei um coração novo e em vós porei um espírito novo; tirar-vos-ei do peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne” (Ez 36, 26).

Neste tempo tem sido muito próxima a presença do meu bispo, o cardeal Crescenzio Sepe, que me apoia constantemente, ainda que às vezes me peça para descansar, para que eu não me sobrecarregue.

Agradeço a Deus também por meus familiares e meus amigos sacerdotes que me ajudam e apoiam, sobretudo quando faço as diferentes terapias, compartilhando comigo os momentos de inevitável sofrimento. Também os meus médicos me apoiam muito e fazem o impossível para encontrar os tratamentos adequados para mim.

Santo Padre,

estou me alongando muito, mas só quero dizer que ofereço a Deus tudo isso, pelo bem da Igreja e pelo senhor de um modo especial, para que Deus o abençoe sempre e o acompanhe neste ministério de serviço e amor.

Eu lhe rogo que reze por mim: o que peço todos os dias ao Senhor é que seja feita a Sua vontade, sempre e em todas as partes. Não peço a Deus a minha cura, mas a força e a alegria de continuar sendo um verdadeiro testemunho de Seu amor e um sacerdote segundo o Seu coração.

Seguro de suas orações paternas, o saúdo devotamente.

Padre Fabrizio De Michino

 

Anúncios