Mensagem de Natal

O Natal do Senhor está iminente. Vinde, adoremos o Menino Jesus, que é o esperado por todos os povos, a sublime resposta de Deus à humanidade. Com admiração sempre nova vamos, mais uma vez, caminhar em direção ao Presépio de Belém a fim de nos aproximarmos do mistério do nascimento de Cristo, em cujo rosto humano resplandecem a solicitude e a misericórdia de Deus. Sim, Deus ama-nos plenamente! Ele não se esqueceu de nós, Ele não nos abandonou à solidão, mas enviou o seu Filho para nos convidar a renascer n’Ele para que, com Ele, possamos viver eternamente na comunhão da Santíssima Trindade.

Apressemos os nossos passos e caminhemos com passos firmes em direção a Belém, pois estamos dispostos a celebrar o Natal. Queremos espalhar os benefícios dos tempos litúrgicos do Advento e do Natal a nosso favor.  Queremos dar um basta a esta industrialização da esperança que é promovida apenas por interesses capitalistas. Queremos anunciar que o Natal é o terreno seguro e sempre fecundo, onde brota a verdadeira esperança da humanidade. Esta esperança é uma Pessoa, a Pessoa de Cristo, que construiu a Sua tenda no meio de nós, para nos abrir o caminho rumo à Sua morada eterna. O mundo espera-O, mesmo inconscientemente; os homens e as mulheres precisam d’Ele, mesmo que nem sempre O reconheçam.

Com o olfato apurado, estamos percebendo que, por meio das novenas de Natal, da oração do terço em família e em comunidade e pelo exercício do desprendimento, há no ar um cheiro inconfundível de Natal. Que cheirinho bom possui o Natal: cheiro de incenso de rosas, cheiro de flores perfumadas e cheiro de primavera antecipada. Antecipando a alegria do Natal e testemunhando as razões da nossa fé, cantando Noite Feliz, no dia 25 de dezembro, ao surgirem os primeiros raios do sol, iremos tocar as campainhas das casas dos nossos coetâneos para lhes dizer: “Desperta, homem, porque por ti Deus se fez Homem”. (Santo Agostinho, Sermões, 185).  Acorda, meu irmão, pois hoje é Natal, dia de intensa difusão de luz e de paz, dia de enlevo interior, de esperança e de entusiasmo. Acorda, meu irmão, vamos juntos com os pastores e os magos do oriente saudar a Virgem Maria pelo nascimento de seu Filho. Peçamos à Virgem Santa uma permissão para cobri-Lo de beijos e experimentemos em nossas almas o poder da Sua bondade que nasce e renasce em nosso íntimo quando mergulhamos sem reservas no mistério do Natal.

Por Aloísio Parreiras
Escritor e Membro do Movimento Emaús

http://www.arquidiocesedebrasilia.org.br/noticias.php?cod=1511

Anúncios