Arquidiocese realiza confraternização Natalina para povo de rua

18/12/2013 15:19

Como parte das celebrações Natalinas, a Arquidiocese de Brasília realizou durante a manhã de hoje confraternização e acolhida para pessoas em situação de rua com o objetivo de partilhar a alegria do Nascimento de Cristo e de mostrar e levar o real símbolo do Natal aos irmãos excluídos da sociedade.

As atividades tiveram início às 9h30, com a Santa Missa presidida pelo arcebispo Dom Sergio da Rocha. A cerimônia contou com a presença de representantes do governo federal e local, nas pessoas do Ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República do Brasil, Gilberto Carvalho, e do Secretário de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (SEDEST), Daniel Seidel.

Durante a homilia, Dom Sergio comparou a dificuldade vivida pelos moradores de rua à experiência vivenciada por Jesus logo ao nascer. “A situação de rua vivida por muitas pessoas aqui é a mesma que viveu Jesus e Maria, que quando precisou de um lugar para dar a luz não encontrava esse lugar…. E Jesus acabou nascendo em um lugar simples onde estavam os animais. Foi uma situação difícil. Jesus sofreu e hoje continua a sofrer na vida de irmãos e irmãos de ruas que sofrem  a espera da acolhida, do amor e da solidariedade da comunidade”, disse.

Ainda relatando o nascimento do menino Jesus, o bispo deixou uma mensagem de esperança e de incentivo a todos os excluídos, lembrando que Maria e José não desistiram, procuraram e acabaram encontrando um lugar para Jesus nascer. “Devemos (diante de uma situação difícil) confiar mais ainda em Jesus. Não desanimar, não desistir. Temos que procurar viver bem, trilhar o nosso caminho no bem.  Não devemos deixar de viver o que Deus nos pede, mesmo em situações difíceis. (…)Pode faltar o amor de alguém, o que não deveria acontecer,  mas o amor de Deus não falta. Nós não estamos sozinho. Deus nos acompanha com seu amor, concluiu”.

Logo após a missa, os presentes se reuniram em frente à Catedral, de onde partiram em caminhada à Rodoviária do Plano Piloto. Mas antes, todos apanharam uma rosa para presentear algum desconhecido no ponto de chegada.

Com flores e cartazes nas mãos – que traziam mensagens de igualdade e pedido de respeito e cidadania – a multidão foi guiada e animada pelo Diácono Manoel Tranquilino, que de cima do automóvel, conduziu o momento de oração e de canto.

Chegando à Rodoviária, o grupo ofereceu rosas para transeuntes e assistiu a uma apresentação encenada por uma família que frequenta a Casa Santo André, entidade de acolhimento. Na peça, Maria, José e o menino Jesus receberam rosas e cobertores dos moradores de rua.

Após a encenação, o povo se dirigiu para o estacionamento em frente à Cúria Metropolitana, ao lado da Catedral, onde a recepção foi feita pelo Arcebispo Dom Sergio e, em seguida, servido a refeição.

Para os convidados especiais foi servido arroz, feijão tropeiro, bife ao molho madeira e estrogonofe de frango. De sobremesa, frutas variadas. Após a alimentação, kit de higiene foram distribuídos aos moradores de rua.

Emocionado, o Presidente da Comissão de Justiça e Paz, José Márcio de Moura Silva, fez uma síntese do evento, realizado em conjunto pela Comissão Justiça e Paz, Pastoral da Pessoa de Rua, Casa Santo André e Vicentinos da Arquidiocese de Brasília, e com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (SEDEST).

“Ficou tudo muito lindo. Estou muito alegre por conseguirmos realizar tudo isso. Fizemos tudo com amor, antecedência e planejamento. E planejamento ajuda no sucesso da realização. Dom Sergio nos pediu esse evento e nós acatamos. E a intenção era essa, trazer alegria e gerar reflexão durante esse dia”, afirmou José Márcio.

Ainda segundo o Presidente CJP, durante todo o dia de evento foram atendidos 300 pessoas em situação de rua.

Entre os acolhidos, estava Maria Celeste, 29, que guardará este dia na memória. “A gente fica feliz, né, quando alguém faz alguma coisa pra gente. Nem lembrava como era ser tratada como gente”.

Já João Adélcio ou Dedé, como é conhecido, mostrou-se satisfeito em ter participado do evento e agradeceu a todos pela iniciativa. “Eu gostei muito de tudo. Só tenho que agradecer a Deus e por todos que deram isso aqui pra gente”, finalizou.

Os interessados em conhecer ou ajudar a Pastoral do Povo da Rua ou a Casa Santo André, pode entrar em contato através dos seguintes e-mails: pastoraldopovodarua@gmail.com (Povo de Rua) e kellyasoma@gmail.com (Santo André).

Por Gislene Ribeiro

Anúncios